Notícias

BRESSER ELÉTRICO Nº 18

18/12/2017
Publicado em Notícias | Comentar

Informes & notícias sobre um processo que diz respeito a 1601 famílias de trabalhadores da CEAL e tramita desde 1989.

Uma publicação conjunta do

SINDICATO DOS URBANITÁRIOS DE ALAGOAS e da

ASSOCIAÇÃO DOS APOSENTADOS DACEAL

 

PRESIDENTE DO TRT FORMULA PROPOSTA INTERMEDIÁRIA

 

Na mesa havia a nossa proposta (R$ 540 milhões livres de qualquer encargo), e a proposta da empresa (R$ 178 milhões brutos com tudo incluído). No impasse um vazio de mais de R$ 360 milhões. Agora existe algo: a proposta do presidente do TRT/AL, Desembargador Federal Pedro Inácio, de 20% do mesmo montante, ou seja, R$ 360 milhões, praticamente, livres. Ficariam por conta dos/as trabalhadores/as apenas os honorários contratados de 10% para a defesa em Brasília; no mais seria tudo por conta da empresa.

 

Temos algumas datas para aguardar um posicionamento:

 

DIA 28/12/2017: Assembleia da ELETROBRAS que deverá apreciar a proposta;

 

DE 22 a 26/01/2018: Próxima rodada de mediação/TRT, logo após o recesso do judiciário local, com a possível presença da AGU que está sendo convidada.

 

ASSEMBLEIA DEFINE

 

Aguardar-se-á a proposição ser assumida pela ELETROBRAS para se posicionar (isto ainda não ocorreu). Os trabalhadores que se reuniram em grande número desde o início da manhã da última quarta (13/12) na entrada do Prédio Sede do TRT/AL, fizeram uma assembleia participativa e encaminharam aguardar o posicionamento da empresa para só então apreciar a nova proposta.

 

GENTE PASSANDO MAL, ESTRESSE E CRÍTICAS INJUSTAS

 

Após uma longa manhã de espera, já passava do meio dia quando a reunião de mediação se findou. A essa altura, o cansaço aliado ao desconforto de uma concentração, praticamente, em uma via pública na porta do Prédio Sede do TRT sob forte calor, sem falar do desgaste emocional decorrente de uma indefinição, registrou-se que um companheiro passou mal, desmaiou, foi atendido e retomou a consciência logo. Esse fato gerou um estresse na parte final da assembleia, quando o encaminhamento já estava delineado. Também prejudicou a tranquilidade e produziu esvaziamento falas que foram ofensivas sem compreensão do processo, além da acusação de que o “Sindicato estava atuando com marasmo” porque não encaminhava mobilização antes dos prazos acima. Essa acusação é extremamente injusta, pois o Sindicato (e a AAPC) tem atuado de maneira firme, efetiva, diuturna, informando e mobilizando, priorizando tanto essa questão que tem recebido críticas por diminuir o ritmo de outros assuntos. Chama-se a atenção para a necessidade de se manter unidade dos/as trabalhadores/as, pois a divisão prejudica-nos e talvez seja o desejo de nossos verdadeiros adversários. Não há sentido, por outro lado em se fazer uma mobilização antes, pelo menos, da assembleia da ELETROBRAS. Deve-se lembrar que esse também é um processo judicial e o recesso do judiciário torna inócuo mobilizar-se no meio de um período ferial.

Os comentários estão encerrados.