Trabalhadores/a da CEAL lutam contra a privatização com 72h de paralisação

O sindicato dos urbanitários de Alagoas encerrou no dia 30 de agosto, uma paralisação de 72 horas contra o leilão de três distribuidoras do Norte, a EletroAcre do Acre, a Ceron de Rondônia e a Boa Vista Energia de Roraima, marcado para esse mesmo dia. Os/a trabalhadores/a da Eletrobras de todo o estado estiveram na sede da empresa, em Maceió, em solidariedade aos seus companheiros do norte. Durante os três dias de protesto os/a trabalhadores/a realizaram panfletagem e dialogaram com a população sobre as graves consequencias da privatização deste setor estratégico.

Apesar de toda a luta da categoria, o governo golpista e entreguista de Michel Temer  conseguiu vender as três distribuidoras. A EletroAcre e a Ceron foram vendidas para a Energisa. Já a Boa Vista Energia ficou com o grupo Oliveira Energia. O preço de venda foi de R$ 50 mil por empresa —um valor simbólico que será pago à Eletrobras.

Essas vendas se somam à da Cepisa, do Piauí, vendida para a Equatorial, em um leilão individual realizado em julho deste ano. Além dessas distribuidoras, a Eletrobras tenta vender outras duas: a Amazonas Energia e a CEAL de Alagoas.

No caso da empresa do Amazonas, que inicialmente seria ofertada junto com as demais companhias do Norte, o leilão foi adiado para 26 de setembro. O atraso ocorreu porque sua venda ainda enfrenta dificuldades, principalmente a aprovação de um projeto de lei que transfere uma dívida bilionária das distribuidoras à conta de luz do consumidor.

Já a venda da CEAL está tratava por conta de uma disputa com o governo alagoano, que conseguiu uma liminar do Supremo Tribunal Federal – STF, para barrar a venda enquanto as negociações não fossem concluídas.

O sindicato ressalta a importância da mobilização e unidade para resistir ao ataque à soberania nacional e aos direitos dos trabalhadores/a.