Sindicato cobra da Casal e Eletrobrás providencias às demandas da categoria

A Direção do Sindicato dos Urbanitários, por meio de procedimento administrativo, cobrou da ELETROBRAS DISTRIBUIÇÂO e CASAL, providências em relação às reclamações colhidas, por ocasião de debate com os trabalhadores e trabalhadoras em visita a todos os locais de trabalho, capital e interior, no período de dezembro de 2011 a janeiro de 2012.

Foram detectados problemas sérios, principalmente na Eletrobras Alagoas, que revela fragilidade na gestão, bem como descaso quanto às condições de trabalho, comprometendo a imagem da empresa para a sociedade e gerando um clima de insatisfação e descrédito por parte do/ass trabalhadores/as e trabalhadoras.

Entre eles a preocupação com as medidas adotadas pela direção da Eletrobras que têm inviabilizado a melhoria da qualidade dos serviços prestados à sociedade, porém apesar de serem anunciados investimentos para o setor, ao invés desses investimentos contemplar a contratação de nova mão de obra, estão sendo utilizados para privilegiar a terceirização na empresa, comprometendo a saúde financeira da instituição, através de altos contratos que atendem a interesses de grupos privados.

Com destaque para o descumprimento de cláusulas do ACT nas duas empresas, o Sindicato após procedimento administrativo pretende acionar a justiça trabalhista para que, esse instrumento de conquista dos trabalhadores/as seja respeitado.

Categoria da Casal garante mais conquistas

Na CASAL, a grande insatisfação da categoria se revela no atraso da movimentação do Plano de Cargos e Salários e no não atendimento ao pleito da alteração da nomenclatura de funções, nas carteiras de trabalho (CTPS) e contracheques. A prática de assédio moral em vários setores das empresas também ficaram evidentes. O Sindicato está fazendo levantamento e apurando as denúncias e tomando às devidas providências administrativas e jurídicas mediante manifestação das vítima.

Os/as trabalhadores/as da Casal conquistaram, através do ACT 2011/2012, mais R$ 1,00 no Ticket Alimentação, passando o mesmo de R$ 19,00 para R$ 20,00, conforme costa na Cláusula Sétima, Parágrafo Primeiro, e 0,3% de ganho real a partir de janeiro/12, já que a arrecadação ultrapassou os R$ 18 milhões em dezembro/11, conforme prevê a primeira Cláusula do ACT, que em seu Parágrafo Primeiro, assegura aos/as trabalhadores/as esse incremento de reajuste salarial.

Os/as trabalhadores/as cumpriram com suas obrigações laborais, eficientizando o desempenho e elevando o faturamento da empresa. Entretanto, a diretoria da Casal ainda não oficializou para o Sindicato quanto aos resultados de incremento na arrecadação quanto ao ganho de produtividade, prevista na Cláusula Décima Segunda, que havendo o incremento na arrecação de maio a dezembro de 2011, comparado ao mesmo período de 2010, haverá reajuste correspondente a 50% do percentual de incremento da arrecadação apurada, limitado ao ganho cumulativo de 3%. Caso o ganho, ao longo desse período exceda tal patamar, o excedente será revertido em favor do valor unitário do Auxílio -Alimentação.