Violência em Alagoas já aumentou 42% em janeiro em relação a 2011

O ano de 2012 começou fora de controle quando o assunto é Segurança Pública em Alagoas. Somente nos primeiros oito dias do ano, de acordo com dados extra-oficiais, 50 homicídios foram registrados no Estado, o que significa um aumento de 142% em relação ao mesmo período de 2011, quando o número era de 35 assassinatos. A constatação é que, mesmo com a promessa do governo em atuar no combate à criminalidade, a escalada da violência segue de forma devastadora.

Desde que assumiu a cadeira de chefe do Executivo Estadual, o governador Teotônio Vilela Filho (PSDB) assiste o crescimento de crimes e, no ano passado, o pior de todos os títulos, sendo o Estado mais violento do Brasil. Nos últimos 10 anos, os homicídios em Alagoas cresceram mais de 300%.

O salto foi assustador, já que Alagoas deixou o 11º lugar para a liderança do ranking. Alagoas é o território onde mais se mata no país, seguindo na contramão dos dados nacionais que apresentam uma redução considerável dos índices.

Para se ter noção da gravidade do problema, basta realizar um comparativo dos índices divulgados pelo Estado. Segundo dados obtidos pelo Programa Ufal em Defesa da Vida, coordenado pela Pró-reitoria Estudantil (Proest) da universidade, nos cinco anos do tucano no governo, foram 10.505 assassinatos, tendo a capital o local com maior incidência dos crimes.

Os dados oficiais da Secretaria de Defesa Social mostram que em 2009, deram entrada no IML 1.989 corpos; já em 2010, os assassinatos chegaram a 2.226. Somente em 2011, 2.387 pessoas morreram vítimas de violência, sendo este considerado o ano mais sangrento da história de Alagoas, superando qualquer estatística anterior.

Mesmo sem a confirmação oficial do governo, a média diária de mortes chega seis assassinatos, cujas motivações são as mais variadas, desde envolvimento com drogas a vingança. O avanço da criminalidade em cidades como Arapiraca, Palmeira dos Índios e Santana do Ipanema, transformou a rotina dos moradores, mas é Maceió que continua liderando a taxa de homicídios.

No terceiro dia de 2012, a segurança pública foi reforçada ao receber diversos equipamentos, dentre eles coletes balísticos, metralhadoras e viaturas, cujo investimento alcançou R$ 1,5 milhão. Mas apesar de toda promessa do governo em reverter o quadro, o caminho do bem parece estar muito longe de ser alcançado.

Fonte: O Jornal