NOTA DE REPÚDIO

O Sindicato dos Urbanitários de Alagoas repudia, de forma veemente, a ação patrocinada pela justiça de Santa Catarina, tanto na forma da condução da ação, quanto no seu desfecho, ao garantir a impunidade no caso do estupro da influencer Mariana Ferrer.

Não é possível se conceber que os aparatos de Estado, no caso o sistema judiciário, seja utilizado para manter e garantir os mecanismos de opressão que atingem milhares de mulheres todos os dias em nosso país.

É uma vergonha o que fizeram o Juiz Rudson Marcos e o promotor Thiago Cariço, ao julgar o caso de estupro de Mariana Ferrer. Na verdade, optaram por não fazer justiça, mas descumprir a lei e punir, imaginem só, a vítima, tornando-a culpada pela violência sofrida e, o criminoso, o empresário André de Camargo Aranha, autor do estupro, livre.

Exigimos que o sistema judiciário dê uma resposta firme às ações praticadas, inclusive em relação ao advogado Claudio Gastão, pois caso isso persista, estará permitindo que homens brancos e ricos continuem incentivando outros homens a tais práticas.

Estupro culposo não existe na justiça brasileira. Essa aberração jurídica e social precisa ser reparada com rigor e urgência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *