13 de setembro de 2021

ACT CASAL 2021/2023: Após seis meses de espera categoria marca paralisação

Os/as trabalhadores/as da CASAL estão cansados de esperar. Após seis meses da entrega da pauta, a empresa se nega a avançar nas negociações, propondo uma pauta que retira direitos e não recompõe o mínimo das perdas econômicas dos últimos anos.

Diante disso, em assembleia realizada no dia 08 de setembro, foi aprovada uma paralisação de 48hs, nos dias 20 e 21 de setembro, devido a falta de compromisso da empresa na negociação do Acordo Coletivo de Trabalho – ACT deste ano.

Após três rodadas de negociação, em um momento onde a empresa negocia a venda dos Blocos B e C, a categoria está muito preocupada e angustiada com seu futuro, precisando urgente de uma proposta que garanta a manutenção de todo ACT, sem redução de conquistas, avanço nas cláusulas do plano de saúde, produtividade e auxílio alimentação e educação dos filhos.

Apesar da categoria estar pacientemente aguardando há seis meses uma proposta digna, apostando no diálogo, está percebendo que a diretoria da empresa está esticando a corda, e ainda, atacando a legítima representação dos/as trabalhadores/as, tratando com intransigência cláusulas que afetam diretamente a luta da classe e, insiste na redução de dirigente sindicais.

A empresa está com dinheiro em caixa, tendo anunciado superávit em suas contas e obteve autorização da ARSAL para realizar aumento de tarifa, a venda do bloco A região metropolitana para BRK resultou na expressa quantia de R$ 2 bilhões.

Não existe nenhum motivo para a CASAL não conceder um reajuste que recomponha toda a inflação do período e garanta ganho real em outras cláusulas.

Os/as trabalhadores/as estão mobilizados, prontos para a luta e, ainda apostando no diálogo como melhor meio de se resolver esse impasse criado pela diretoria da CASAL.

Todos/as à luta!

RETROSPECTIVA DA LUTA

  • A categoria aprovou a pauta em março deste ano e, até agora, a empresa não avançou nas negociações.
  • Em abril 2021, a empresa confirmou que está garantida a data-base da categoria, bem como que está mantida a integralidade ao atual Acordo Coletivo de Trabalho – ACT, até o final das negociações para o futuro acordo.
  • Em junho, os/as trabalhadores/as aprovaram, em assembleias nos locais de trabalho, o pedido para que a empresa iniciasse as negociações imediatamente.
  • No dia 21 de julho foram iniciadas as negociações do Acordo Coletivo de Trabalho – ACT CASAL.
  • No dia 06 de agosto foi realizada a segunda rodada de negociação, quando a empresa ficou de enviar uma contraproposta até o dia 20 de agosto, prazo esse que não foi cumprido.
  • Uma nova data foi marcada para o dia 24 de agosto e, mais uma vez, não foi cumprido.
  • No dia 30 de agosto foi realizada a terceira rodada de negociação, quando a empresa ficou de enviar uma nova contraproposta a ser apresentada em assembleia da categoria no dia 31 de agosto.
  • Sem avanços, no dia 31 de agosto, a categoria deliberou em assembleia por rejeitar a proposta da empresa e apostar no processo de diálogo, retornando com a pauta para a mesa de negociação, com uma proposta mais enxuta.
  • Cansados de esperar, em nova assembleia realizada no dia 08 de setembro, os/as trabalhadores/as aprovaram indicativo de paralisação de 48hs a partir do dia 20 de setembro, devido a falta de compromisso da empresa na negociação do Acordo Coletivo de Trabalho – ACT deste ano.

13 de setembro de 2021

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *